Terceiro post do blog Os cachiorros

Nós o adotamos neste dia, em um parque de diversões. As crianças estavam pedindo um cachorrinho fazia tempo, eu também queria, mas sabia que o trabalho seria redobrado. Por que as crianças querem um cachorro como animal de estimação?

Ele mal sabia como pegar um bichinho tão pequenino!!!

Havia uma pequena feirinha do lado de fora do parque. Feirinha para venda de bichinhos de estimação, cães e gatos. Eles se divertiram muito durante o parque. E ainda estava cedo pra ir embora. Tive a curiosidade de ver a feirinha na calçada com as pessoas ao redor. E disse aos meus filhos: “querem ir lá pra fora? Eles aceitaram na hora!!!”

Haviam vários gatinhos fofinhos, pequeninos. E os cachiorros também. Eles queriam todos!!! Cada bichinho que eles pegavam, eles queriam. Os mais bonitos, claro.

Em uma das bancas, haviam vários cachorrinhos. E o dono dizia: fica com esse daqui, e para o outro, pega este aqui. Fui até a banca dos cachiorros. E levei meus filhos. Um deles agarrava nas crianças e não queria mais soltar. Era o Max. Enfim, negociei com o dono e levei o cachorro de graça!!!Ele também estava doando os cachorrinhos.

Fiquei até preocupada…Nossa de graça? Ele disse: sim. Então pegamos o cachorrinho e levamos pra casa. Meu Deus!!! Essas crianças com o cachorro!!! Vocês imaginam…

Que nem um bichinho de pelúcia!!!

Que cute!!!Amamos nosso cachorro.

Este é o Zeus, um pastor alemão.

Nessa foto me lembro do primeiro cão que eu tive. Era um pastor alemão. Um verdadeiro cão de guarda. Ele cuidava da gente. Quando, às vezes, eu chegava cansada da escola, deitava e cochilava no sofá, ele se aproximava e deitava também. Enquanto eu não acordasse, ele continuava do meu lado.

Quando tentavam arrastar, ou tirar qualquer cadeira que fosse de dentro e casa, ele latia. Numa tentativa de defesa. Ele pensava que estavam roubando os móveis. Nós tínhamos um galinheiro em casa, quando éramos pequenos. Quando alguma galinha escapava, ele enterrava a galinha sem matar. Olhávamos e víamos que alguma coisa errada estava acontecendo, porque a terra se mexia. Ele não matava as galinhas, ele as escondia!!!!

O nome dele era Blitz. Não tem o que falar de um pastor alemão. Um dos melhores cachorros que eu já tive.

Lembranças boas da minha infância. E ver meus filhos vivenciando esse amor com os cachorros vai fazer bem para seu próprio desenvolvimento. São lembranças que eles também vão guardar para o resto da vida.

Os dois se entendiam muito bem. Sem trocar palavras. Melhores amigos!!!

Uma imagem diz mais que mil palavras!!!

Nessa foto o Max já havia crescido um pouquinho. Quando ele chegou em casa, percebi que ele estava cheio de pulgas e carrapatos. Ele era pequenino, tivemos muito cuidado, e levamos a Dra. Cláudia, veterinária, para nos ajudar com o cachorrinho. Colocamos as vacinas em dia. Ele foi crescendo e o amor mais ainda.

O nome Max, foi inspirado em um filme americano chamado Max. Baseado em um cão treinado para a guerra, e que sabia quem foi o assassino do seu dono. Sem dono, ele foi para um canil, onde a família apareceu depois da guerra. O único em quem ele confiava era o irmão do seu dono. Estou me referindo a situações que o cachorro passsava no filme. É como se eu estivesse descrevendo como ele enxergava e pensava A proximidade entre os dois não foi tão difícil. Pois o cachorro sabia que aquele que se tratava do seu novo dono, era irmão do que morreu, que havia sido assassinado na guerra. O cachorro sabia quem era o assassino. E depois, descobriu que o assassino era amigo da família do seu novo dono. Esse é o nome do meu cahorro. No filme, Max era um pastor belga.

Esse é o nosso Max, com muito orgulho!!!!

Ele também cresceu. E precisava de espaço. Novamente, com o tempo, dificuldades foram aparecendo. Nós moramos em um pequeno condomínio. Não existia quintal. Comigo e as crianças fora a maior parte do tempo, ele coomeçou a roer as coisas. São inúmeras as surpresas que eu tive. Quando chegava em casa, sempre tinha alguma.

O Max cresceu demais e não pode mais ficar com a gente. Fomos obrigados a deixá-lo com outra pessoa. Ela é minha conhecida e amiga. E mora pertinho de casa. Sempre vou ver o Max, e as crianças também. Elas brincam bastante com ele. O espaço daqui pra ele ficou pequeno demais. Lá ele tem um quintal de terra só pra ele. Ele adora a D.Noemia, que trata ele super bem. Ele corre e brinca pelo quintal. Estou precisando ir lá dar um banho nele.

As crianças amam o Max.

Um cachiorro de estimação vai te ensinar a cuidar de si mesmo, porque quando você não aguentar mais a cuidar de si mesmo, você vai olhar pra ele e ele vai te lembrar disto, pelo estado em que ele se encontra.

Primeiro banho de balde do Max. Ele havia crescido bastante. E os parasitas, os carrapatos ainda persistiam. Então, nesse dia, coloquei um produto forte na água para matar os carrapatos. Morreram todos. A Sarah me ajudou a dar banhono Max porque ele queria sair da bacia. A Sarah ajudava a segurar o cachiorro. Demos muita risada com o Max.

Só carinhos. Com o cachiorro não tem brigas. Ele não deixa. Logo que vê alguma discussão, agrada alguém. Ele não deixa ninguém brigar. Olha como ele reage, e faz.

Vejo o Max sobre essas almofadas do sofá e me lembro que, um dia cheguei cansada do serviço, e as crianças não estavam em casa ainda. E quando eu abri a porta, dei de cara com o céu, as plumas de uma das almofadas estavam todas sobre o chão, que nem uma nuvém de algodão. Foi o Max. Pensei rapidamente…

Minha última cachorrinha, uma shitzu. A Raika foi roubada de nós. Roubaram em frente de casa. Ficamos desesperados. Espalhamos cartazes pelo bairro. Mas quem roubou, sabia o que estava fazendo. Existem pessoas muito frias neste mundo. Choramos demais. Minha mãe nunca mais quis ver cachorro na casa dela. Ficamos arrasados.

Quando eu fui morar em Santa Catarina, em Garopaba, um paraíso no sul, ela era minha única companhia na maioria das vezes. Acordávamos e íamos andar pela praia.

A primeira vez que ela viu uma praia, ela correu de alegria até se cansar. E molhou as patinhas no mar.

Foi minha companhia durante anos. As crianças adoravam ela.

E como nos conhecemos?

A esposa do meu irmão me levou até um canil. Eu queria um cachorro. E, quando cheguei lá, os filhotes eram muitos. Um mais bonito que o outro. Fiquei observando o canil, e percebi que os maiores cachorrinhos, não davam chance pra ela. Quando ela ia comer ou beber, eles a empurravam com seu tamanho. Ela tinha que ser esperta ali. Mas eu a vi. E resolvi pegá-la no colo. Ela foi o único cachorro que não desgrudou da minha roupa. Ela parecia a mais feia do canil, perto dos outros. Então, vendo ela ali, decidi adotá-la com todo o amor do mundo.

Conforme, foi crescendo, se tornou a mais bela de todos. Me sentia feliz e muito orgulhosa pela minha atitude e minha escolha. E o amor só aumentou.

Olha, tem como não se apaixonar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s