Conta de Luz.

A noite chegou. E com ela a calma. O Miguel está deitado do meu lado assistindo vídeo. Já jantamos. E deu vontade de comer um docinho. A Sarah está brincando de boneca lá embaixo. Está aproveitando o Espaço das Cabanas. Brincando com os brinquedos. Está aproveitando assim como eu. Que escrevo neste Espaço. Agora ela subiu. E está deitada do meu lado também. Estou com um pouco de sono. São 21h42. Estou assistindo à televisão. Passou uma parte boa da novela agora. E depois peguei no sono.

São 8h08, já tomei café. Eles ainda não acordaram.

O dia está só começando. Tenho muitas coisas a resolver. Está gostoso pela manhã. E uma temperatura agradável. Preciso ir ao mercado. Preciso ir ao banco. Estou chamando as crianças para tomar café. Elas nem querem levantar. Querem ir comigo comprar a parte do material escolar que falta. Mas, gostaria de ir sozinha. Os ítens pessoais como cadernos, estojos e lápis de cor já comprei. Para eles também escolherem. Mas esses ítens, não são tão pessoais.

Tomando café. E espreguiçando pela manhã. Que coisa boa.

Planejar o dia segundo as prioridades. O que vou começar a fazer primeiro. Pensar em silêncio.

Estava sol e calor. Fui ao banco. E tive uma surpresa. Havia um protesto em meu nome. Estranhei como poderia haver um protesto em meu nome desde novembro do ano passado, 2018, se não uso dinheiro, cheques. Também é difícil usar cartão de crédito. Somente pela internet. E o valor era de duzentos reais. O próprio gerente se referiu a esse protesto como sendo de má fé, pelo valor pequeno a ser protestado, em vista do trantorno que ele causa para a vida de uma pessoa e o trabalho que é para retirá-lo. Tenho que ir até o centro da cidade para resolver isso. Nunca imaginei que isso poderia acontecer comigo. Porque não dou motivos para isso. Tive esse problema uma vez. Foi logo que nos mudamos para uma casa nova. Há cerca de 20 anos. Não tinha filhos ainda. Estava casada com outra pessoa. Uma relação que durou cerca de dez anos. Já faz algum tempo.Comprei todos os móveis de uma vez só. Para ver a casa mobiliada. Dei vários cheques. Mas muitos mesmos, e o financiamento era longo. O orçamento parecia dentro do padrão. E íamos dividir o valor. E quando faltou uma parte do dinheiro para pagar um cheque, que já havia voltado por duas vezes, perdi meu limite da conta corrente. E a dívida caminhou como o efeito dominó. Voltou um cheque atrás do outro. Que nem uma bola de neve. Fiquei depressiva, porque sempre fui uma pessoa correta. E porque todo dinheiro que entrava através do meu trabalho, era para pagar as dívidas. Fiquei nessa situação por alguns anos. Mas consegui recuperar quase cem cheques devolvidos. Alguns foram muito difícies de recuperar. Mas consegui pagar um por um. E fui retirando os protestos nos cartórios. Nunca mais usei cheques. Retirei todos os protestos. Uso o cartão de crédito somente quando muito necessário. O que aconteceu dessa vez é muito diferente do que aconteceu há anos. Não tem comparação. Mas estou muito curiosa, como isso pode acontecer.😣 Passaram- se alguns dias. Fui ao tabelionato de protestos hoje, após minha consulta médica. Para chegar até lá com destino seguro, fui de uber. O horário foi logo após o almoço. Mais tranquilo. E chegando ao destino, fui a pé do outro lado da praça Dr. João Mendes. Estava vazio. Num prédio rosa. Era uma conta de luz que eu havia pago atrasada. Não acreditei! Paguei somente a taxa. E fui embora. Não me mandaram uma carta de sobreaviso, que o valor iria ser protestado. Simplesmente prosteram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s